Início
Capanda o percurso turbulento de uma obra imponente Versão para impressão Enviar por E-mail
Sexta, 12 Março 2010 10:31

A barragem de Capanda a maior obra de construção civil construída nos últimos 30 anos, ergue-se a uma altura equivalente a um prédio de 36 andares.

Localizado na província de Malanje, o empreendimento custou 2,6 biliões de dólares. A gerar energia desde Janeiro de 2004, a barragem estará concluída no segundo semestre de 2207, altura em que permitirá abastecer de energia eléctrica a  cinco províncias de Angola (Malanje, Kwanza-Norte, Luanda, Kwanza-Sul e Bengo).

Em meados de Junho o Governo angolano aprovou o financiamento para a aquisição de equipamentos e a conclusão da segunda fase do projecto de Capanda, que será assegurado com 113 milhões de dólares provenientes de uma linha de crédito concedida pelo Brasil.

A barragem hidroeléctrica de Capanda começou a produzir energia eléctrica em Janeiro de 2004, com a entrada em funcionamento da primeira turbina, tendo a segunda começado a funcionar em meados do ano passado.

As duas turbinas produzem actualmente cerca de 260 megawatts de energia, que alimenta as cidades de Luanda e Malanje, além da sede municipal de Cacuso, onde está o empreendimento.


Quando estiverem a funcionar as quatro turbinas previstas no projecto, a produção de energia deverá atingir 520 megawatts, que permitirão ainda um reforço dos sistemas existentes no Centro e Sul do país, com o qual este aproveitamento hidroeléctrico estará interligado.

O projecto de construção da barragem de Capanda começou em Setembro de 1982, quando foi criado um consórcio formado pelas empresas Technopromexport, da Rússia, e Odebrecht, do Brasil, que assinaram com o Governo angolano o contrato para a construção do empreendimento.

As obras em Capanda tiveram início em Fevereiro de 1987, com o desbravamento das matas, a abertura de acessos e a construção de uma pista de aviação, um hospital, alojamentos para os trabalhadores e oficinas, entre outras infra-estruturas de apoio.

Os trabalhadores sofreram uma primeira paralisação em Novembro de 1992, ao agravamento da situação militar na região, tendo as obras permanecido paradas durante cerca de cinco anos.

Nesse período, o estaleiro foi completamente abandonado e todas as infra-estruturas e equipamentos foram destruídos.

As obras recomeçaram em Julho de 1997, mas voltaram a ser suspensas em Janeiro de 1999, permanecendo paradas durante cerca de um ano, mas, desta vez, o estaleiro nunca chegou a ser abandonado, permanecendo no local um grupo de trabalhadores apoiado pelo exército governamental.



Em Janeiro de 2000, foram retomados os trabalhos, tendo, a 22 de Agosto de 2002, sido assinalado o início do enchimento da albufeira, que ocupa uma área de 165 quilómetros quadrados.

A 10 de Janeiro de 2004, dezassete anos depois do início da sua construção, a barragem de Capanda começou a fornecer energia eléctrica a Luanda.

 
Faixa publicitária